Estou começando um novo negócio, será que tenho uma startup? | + Negócios | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
Gestão e Negócios
Estou começando um novo negócio, será que tenho uma startup?
Vários “supernegócios” são intitulados como Startup, e isso desperta em muitos a vontade de ter também uma megaempresa que fature muito.
BS Innovation Hub
Postado em 18 de outubro de 2021
Estou começando um novo negócio, será que tenho uma startup?
Foto: Divulgação

O termo “Startup” vem sendo amplamente difundido, no Brasil e no mundo.  Acontece que, como, em sua maioria, ela tem como principal canal um aplicativo, muitos acreditam que lançar pura e simplesmente um aplicativo é ter uma Startup, ou que ao fazer isso conseguirão a “glória eterna de ter um supernegócio que o deixará rico”.

Mas, na verdade, não é bem assim. Como diria o ditado “nem tudo que reluz é ouro”, a realidade mostra que a cada 10 Startups, 9 tem um produto falho e encontram muitas dificuldades para se desenvolver. O pior é que, no final muitos do que acreditam ter uma Startup, apenas desenvolveram um app.

Mas, afinal de contas, o que é Startup? A definição mais comumente utilizada para o termo é a do autor do livro Lean Startup – Steve Blank. Ele define como “Uma organização temporária projetada para buscar por um modelo de negócios escalável e repetível que atua num ambiente de extrema incerteza”. Então vamos falar de alguns termos interessantes, como:

Organização temporária: uma Startup é um momento da empresa que virá em seguida, ninguém permanece sendo uma Startup para o resto da existência (desde que essa existência não seja apenas um sopro), mas é muito interessante quando a empresa que derivou de uma Startup mantém o “espírito” de Startup em seu modo de atuar.

Modelo de negócios: modelo de negócio é a forma com que a Startup irá negociar seu produto/solução. Existem várias opções como SaaS, Assinatura, Marketplace, E-commerce, etc. O importante é que esse modelo evidencie a solução e se adeque ao público-alvo, além de ser rentável — claro.

Escalável e repetível: outra coisa importante sobre o modelo de negócios é que ele precisa ser repetível, ou seja, ter a possibilidade de ser executado em vários locais distintos com baixa ou nenhuma variação no modelo. Também precisa ser escalável, permitindo um alto crescimento em faturamento sem um crescimento proporcional de estrutura. Por isso, pense global! Mesmo que você haja localmente no início, você tem a capacidade de vender para o mundo todo.

Incerteza: o solo onde a Startup pisa é incerto, é necessário realizar muitos testes, errar e ajustar muito o modelo para  diminuir essas incertezas e, mesmo assim, ela nunca se vai, pois tem muitas variáveis externas que podem abalar uma empresa em estágio inicial e com baixos recursos, como é o caso da maioria das Startups.

Há outro fator muito importante a ser considerado: as pessoas! Um dos fatores que mais pesam na decisão de investimento, por exemplo, é o time da Startup. Por diversas vezes um time bom faz uma ideia ruim crescer, mas um time ruim põe a perder até as melhores ideias! Busque pessoas boas, apaixonadas e complementares para a sua equipe.

Para alguns, ter uma Startup, às vezes é apenas um status, uma característica para colocar nas redes sociais. Isso é meio triste! De que adianta ser um CEO de nada? Então, para que isso não aconteça, há um enorme caminho a seguir e aprender. Com o auxílio dos vários conteúdos e ferramentas disponíveis na internet, com uma boa pesquisa e esforço você consegue dar início à sua jornada. Vamos em frente!

Gostou? Quer saber um pouco mais? Acompanhe a gente aqui, ao longo da programação da Jovem Pan News Fortaleza 92,9 FM, da Atlântico Sul FM 105,7 e também toda segunda-feira pela manhã no Ceará no Ar, na TV Cidade Fortaleza (canal 8.1).

Deixe seu comentário