Arte e Cultura

Modelo brasileira com Down desfila pela primeira vez em Milão

Maju Araújo, de 19 anos, se tornou a primeira modelo com síndrome de Down a desfilar nas passarelas da Milão Fashion Week

Compartilhe:
2 de junho de 2022
Roberta Fontelles
Modelo brasileira com Down desfila pela primeira vez em Milão
Foto: Reprodução

Maria Julia de Araújo, ou Maju, como é mais conhecida, é um grande nome do ativismo brasileiro na luta pela inclusão social. A jovem se tornou a primeira modelo com síndrome de down a desfilar nas passarelas da Milão Fashion Week, o que a levou para a lista Forbes Under 30 dos jovens mais promissores do País. 

Na passarela, Maju usou vestido de crochê feito pelos integrantes do projeto Ponto Firme, que ajuda mulheres em situação de violência doméstica, pessoas trans e refugiados.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Agora, Maju desembarca no Brasil para a sua estreia na São Paulo Fashion Week em um desfile para o Projeto Ponto Firme, criado pelo estilista Gustavo Silvestre, que já vestiu artistas como Anitta, Pabllo Vittar e Bruna Marquezine.

“Já estive nas maiores semanas de moda internacionais do mundo, mas poder fazer essa estreia na SPFW, na semana de moda do meu País, é de extrema importância e gratificação. O projeto Ponto Firme já traz toda uma representatividade, ter a oportunidade de trazer mais esse acréscimo, quebrando tanto estigmas, é uma honra”, destaca a modelo com síndrome de Down. 

Sobre Síndrome de Down

A síndrome de Down é uma condição genética causada por uma cópia extra do cromossomo 21, que faz com que a criança nasça com algumas características específicas, como implantação mais baixa das orelhas, olhos puxados para cima e língua grande.

Esta síndrome, conhecida também como trissomia 21, surge de uma divisão celular incorreta dos cromossomos durante o desenvolvimento do embrião, fazendo com que a criança tenha 47 cromossomos, em vez de 46.

Leia também | Estudo da UFC vai diagnosticar pessoas com autismo nas primeiras horas de vida

Como a síndrome de Down é o resultado de uma alteração genética, não existe nenhum tratamento específico. Porém, alguns tratamentos como a fisioterapia, a estimulação psicomotora e a fonoaudiologia são importantes para estimular e auxiliar no desenvolvimento da criança. O diagnóstico da síndrome de Down pode ser feito pelo obstetra durante a gravidez, através do exame de translucência nucal, que deve ser realizado entre a 12ª e a 14ª semana de gestação, ou ultrassonografia, cordocentese ou amniocentese.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<