Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
ARTE E CULTURA
Confira galeria virtual com obras do pintor cearense Antônio Bandeira
Artista cearense completaria 99 anos neste dia 26 de maio
JONAS VIANA
Postado em 26 de maio de 2021
Confira galeria virtual com obras do pintor cearense Antônio Bandeira
Foto: Arquivo

O pintor cearense Antônio Bandeira completaria 99 anos neste dia 26 de maio. Contudo, o artista morreu quando tinha pouco mais de 40 anos. Entretanto, sua obra permanece viva até hoje. Ele é um dos principais nomes da arte abstracionista no Brasil e o maior quando se fala do assunto no Ceará. Em cada tela, é possível contemplar um pedaço do artista. Talvez, esse seja o principal motivo de ter vivido poucos anos: o autor se transformou na própria obra.

De acordo com Francisco Bandeira, sobrinho do pintor e pesquisador de arte, o interesse artístico do tio vem desde cedo. Em uma família de sete filhos, o jovem sempre demonstrou seu gosto pela pintura, pelo desenho. No começo dos anos 1940, ele passou a colocar em prática o seu talento ainda em Fortaleza. O pintor chegou a fazer parte também do Centro Cultural de Belas Artes e da Sociedade Cearense de Artistas Plásticos.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

A saga de Bandeira ganhou um novo tom quando passou a estudar na Escola de Belas Artes no Rio de Janeiro, em 1945. No ano seguinte, o artista partiu novamente para uma terra diferente. Dessa vez, a cidade de Paris passou a ser a sua inspiração. De 1946 a 1950, ele estudou em renomadas escolas francesas de arte e ainda teve contato com outros grandes artistas, como Brain e Wols. Este último foi uma das suas principais influências.

Menino nordestino

Kadma Marques, socióloga da arte e professora da Universidade Estadual do Ceará (Uece), destaca a importância de Bandeira para a história da arte brasileira. “Bandeira é alguém que se apropria das tendências mundiais a partir do Brasil. Ele participa ainda da emergência e afirmação da abstração enquanto arte. Ele desenvolve isso a partir de um olhar próprio”, explica a professora.

A especialista ainda destaca que Bandeira recebeu o reconhecimento ainda em vida, algo que não é tão comum. Ao longo de sua história, ele fez o caminho de desprendimento da figuração, ou seja imagens nítidas, para a liberdade de criação proporcionada pela abstração. A vida e a obra de Bandeira trouxeram a afirmação do Brasil no circuito mundial artístico durante a época.

A arte do menino nordestino conquistou grandes personalidades brasileiras. Segundo Francisco Bandeira, o tio foi um dos poucos artistas que conseguiu sobreviver com o valor que arrecadava vendendo suas obras. Mas não parou por aí, as telas abstracionistas ganharam um espaço especial no Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Galeria virtual

Técnica utilizada

A forma como o artista cearense pintava chamava atenção. Segundo Nilson Bandeira, presidente do Instituto Antônio Bandeira, o pintor não utilizava pincel nem espátula. Em suas telas, ele deixava a tinta correr por todos os lados. Esse método Bandeira dominava muito bem. Foi, inclusive, um dos pioneiros na utilização dessa maneira de produzir arte na América Latina, segundo alguns pesquisadores.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário