Notícias

Descarte incorreto de máscaras pode causar danos à saúde e ao meio ambiente

Material pode contaminar todos os outros resíduos com os quais entra em contato, inclusive itens que poderiam ser reciclados

Compartilhe:
18 de outubro de 2020
Teste
Descarte incorreto de máscaras pode causar danos à saúde e ao meio ambiente
Descarte irregular pode ter impacto no futuro

Acessórios essenciais e obrigatórios para transitar nas ruas e nos espaços públicos da maior parte do país, as máscaras passaram a fazer parte da vestimenta e da rotina dos brasileiros, como forma de prevenir a transmissão e o contágio pelo novo Coronavírus. Apesar da finalidade indispensável, a alta demanda pela fabricação e utilização do objeto pode trazer efeitos colaterais para o meio ambiente.

Segundo o sanitarista ambiental Fabrício Pereira, o descarte incorreto do item pode agravar a poluição e causar outros sérios problemas ambientais, como o entupimento de canais, causando alagamentos; e a contaminação de aterros, lixões, lençóis freáticos e oceanos, ameaçando a vida humana e da fauna marinha.

Estima-se que as máscaras descartáveis produzidas, principalmente, com tecido sintético, conhecido como TNT, levem de 400 a 450 anos para se decompor na natureza. Por isso, as feitas com tecido lavável são as mais recomendadas por especialistas e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), para uso da população em geral. Ainda assim, é importante observar o tipo de material e a quantidade de camadas que a máscara de tecido possui, para avaliar sua eficiência e durabilidade durante o dia. Além disso, elas devem ser lavadas após cada uso. Já as de TNT devem ser descartadas e substituídas pelo menos a cada quatro horas.

Segundo Fabrício, descartar esse tipo de resíduo de qualquer maneira pode contaminar ainda todos os outros objetos que ele entra em contato, inclusive itens que poderiam ser reciclados, o que também acende o alerta para o risco à saúde de profissionais que trabalham com a coleta e a seleção do lixo. “Mesmo com equipamentos de proteção, se esses trabalhadores encostam numa máscara contaminada e levam a mão ao rosto, podem ser infectados pela Covid-19”, explica.

COMO DESCARTAR CORRETAMENTE?

O especialista explica que o descarte ideal das máscaras deveria ser feito igual ao de qualquer material hospitalar, em embalagem separada, com a identificação para ser destinado a um aterro específico para esse tipo de material contaminado. “É preciso ter sempre em mente que, após o uso, a máscara é um material altamente contaminado, por estar em contato direto com a boca e o nariz das pessoas, podendo conter diversos tipos de vírus, inclusive o causador da Covid-19. Por isso, retire-as do rosto tocando somente os elásticos, coloque dentro de dois sacos plásticos – um dentro do outro – e jogue, preferencialmente, no lixo do banheiro. Se os materiais tiveram contato com uma pessoa contaminada com o Coronavírus, o ideal é que, ao ser colocado no lixo, o saco plástico esteja sinalizado com os dizeres ‘RISCO DE CONTAMINAÇÃO”, finaliza.