Notícias

Ceará não registra casos locais de sarampo há seis meses

Informação é da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa)

Compartilhe:
28 de outubro de 2020
Teste
Ceará não registra casos locais de sarampo há seis meses
Foto: Reprodução

O Ceará tem uma boa notícia na área da saúde. O estado não registra casos de sarampo há seis meses, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Este ano. de janeiro até a primeira quinzena de setembro, foram contabilizados 7 casos da doença, todos ligados à infecções fora do Ceará.

Os casos de sarampo no Ceará ocorreram em fevereiro, com uma notificação, e seis no mês de março, nos municípios de Cariré e Farias Brito, no Interior do estado.

O balanço deste ano é positivo. Em 2019, no mesmo período analisado, o estado somou 15 casos da infecção. Segundo o governo estadual, todos os casos em 2020 têm ligação ou com viagem para fora do estado ou são de pessoas que tiveram contato com alguém que viajou para fora.

O sarampo é uma doença altamente contagiosa. Um infectado pode transmitir a enfermidade para até 18 pessoas. A disseminação ocorre pela tosse, espirro, fala ou respiro. Neste caso, não é preciso ter contato direto porque o vírus pode se espalhar pelo ar. Assim, os cuidados são os mesmos em relação à gripe, por exemplo.

SINTOMAS

A presidente da Sociedade Cearense de Pediatria, Anamaria Cavalcante, alerta que a doença pode causar sérios danos à saúde tanto nas crianças como nos adultos. ” O sarampo causa muita dor no corpo e como não existe tratamento específico para doença, a vacina se torna muito importante”.

Os sintomas do sarampo são febre e convulsões, infecções nos ouvidos e diarreia, além de manchas vermelhas pelo corpo. De acordo com o Ministério da Saúde, o Ceará é considerado uma das regiões que interromperam a cadeia de transmissão, porém a doença está apenas controlada e não erradicada.

De janeiro a agosto deste ano, foram confirmados quase 16 mil casos de sarampo no Brasil. Cinco estados mantém circulação ativa do vírus: Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Amapá.