Ceará

Camilo envia à AL projeto que torna Auxílio-Catador política permanente

Neste primeiro momento, 1.342 catadores de 41 municípios devem ser beneficiados

Compartilhe:
27 de novembro de 2020
Teste
Camilo envia à AL projeto que torna Auxílio-Catador política permanente
R$ 2,45 bilhões será injetado na economia cearense. Foto: Reprodução/ Twitter

O Programa Auxílio-Catador, implantado pelo Governo do Estado durante a pandemia, deve se tornar política permanente no Ceará. Na última quinta-feira (26) o governador Camilo Santana enviou para a Assembleia Legislativa projeto de Lei com este objetivo, beneficiando, neste primeiro momento, 1.342 catadores e catadoras de materiais recicláveis de 48 associações em 41 municípios.

Enviei ontem à Assembleia Legislativa. Com isso, o benefício social deixa de ser um programa apenas durante a pandemia do coronavírus e terá continuidade após o término do decreto de calamidade pública”, informou o governador em postagem nas redes sociais na manhã desta sexta-feira (27). O valor corresponde a 1/4 do salário mínimo (R$ 261,25). “Nossa meta é ampliar o programa e beneficiar cada vez mais catadores de todos os municípios”, relatou Camilo Santana, na publicação.

Duas parcelas já foram pagas e na próxima segunda-feira (30) serão realizados os repasses referentes aos meses de setembro e outubro. Também serão entregues os cartões para aqueles que ainda não os receberam.

Atualmente o Programa prevê o pagamento de R$ 2.103.585,00, pela SEMA , para os catadores associados ou cooperados do Estado e habilitados no Edital do Auxílio, durante o período de calamidade pública, ocasionado pela COVID-19. Cada beneficiário receberá o valor corresponde a R$ 1.567,50, pago em seis parcelas fixas de R$ 261,25.