Mercado imobiliário do Ceará segue aquecido mesmo com altas da Selic, apontam especialistas | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
HORA DE COMPRAR
Mercado imobiliário do Ceará segue aquecido mesmo com altas da Selic, apontam especialistas
Em 2021, apenas no período de janeiro e agosto, o Ceará acumulou 10.819 unidades financiadas
IGOR SILVEIRA
Postado em 27 de setembro de 2021
Mercado imobiliário do Ceará segue aquecido mesmo com altas da Selic, apontam especialistas
Foto: Divulgação

Apesar das altas da taxa Selic, o mercado imobiliário no Ceará permanece aquecido, conforme especialistas. Mas para conquistar a casa própria, é preciso observar alguns pontos como o familiar, localização e taxas de juros.

>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Em 2021, apenas no período de janeiro e agosto, o Ceará acumulou 10.819 unidades financiadas, movimentando R$ 2 bilhões 23 milhões de reais. Se comparado ao mesmo período de 2020, o valor mostra crescimento de 138%. Os dados foram revelados pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança.

O comportamento dos compradores não surpreende o economista Alex Araújo, já que a onda de investimentos em imóveis acontece desde o ano passado, mesmo na pandemia, onde as taxas de juros se apresentaram em baixos patamares.

“Eles dedicaram uma maior atenção para um investimento no local onde moram, também da facilidade que havia no ano passado das taxas de juros para financiamento que chegaram ao seu menor nível histórico. A Selic tem um impacto direto na correção dos financiamentos imobiliários porque a Taxa Referencial (TR), que corrige a poupança, depende da Selic. Então, com juros baixos e com as pessoas em casa por mais tempo, passaram a buscar mais imóveis”, comentou Alex Araújo em entrevista à Rádio Jovem Pan News Fortaleza.

Leia também | Prazo para contestar auxílio emergencial negado termina hoje (27); saiba como fazer

As vendas contaram ainda com atuação do setor da construção civil. De acordo com informações do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon), diversos empreendimentos foram lançados a partir de 2019. O movimento não acontecia desde 2015, quando poucos lançamentos foram realizados. Mas a orientação do economista Alex Araújo para quem quiser adquirir um imóvel é que não se deve comprometer mais que 30% do orçamento familiar.

Após decidir qual valor investir na parcela do financiamento, os compradores devem analisar fatores como localização. Segundo Tibério Benevides, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci), todos os bairros de Fortaleza são procurados hoje.

“Hoje nós temos serviços em 90% dos nossos bairros: transporte público, água, embora não tenhamos esgoto em todos. Faça a escolha que melhor se adeque a você, procure uma imobiliária ou um corretor credenciado para você fazer um bom negócio”, complementa.

De acordo com a pesquisa DataZap, realizada neste mês, entre os bairros mais desejados quando o assunto é compra ou aluguel, estão: Meireles; Aldeota; Mucuripe; Cocó; Engenheiro Luciano Cavalcante; Papicu; Centro; Messejana; Joaquim Távora e Fátima.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário