Setembro foi o mês menos violento no trânsito de Fortaleza em 20 anos | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
MOBILIDADE
Setembro foi o mês menos violento no trânsito de Fortaleza em 20 anos
Levantamento da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) aponta redução de 60%
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 8 de outubro de 2021
Setembro foi o mês menos violento no trânsito de Fortaleza em 20 anos
Foto: Thiago Gaspar/Prefeitura de Fortaleza

O mês de setembro foi o que menos contabilizou mortes no trânsito de Fortaleza desde 2001, quando teve início a série histórica. Um levantamento da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) aponta que 10 óbitos foram contabilizados no mês passado, o que representa uma redução de 60%. Cerca de 25 pessoas morreram, em média, nos meses de setembro nos últimos 20 anos. Além disso, setembro consolida como o mês com menos vítimas registradas em vias da Capital este ano.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

“Com base na análise dos dados, focamos desde o mês de julho em ações voltadas para aquele público que mais se envolve em sinistros e, consequentemente, são os mais lesionados e perdem a vida, os motociclistas”, apontou a superintendente da AMC, Juliana Coelho.

Os condutores de motocicletas representaram metade das mortes (5) nas vias da capital no mês de setembro. Os outros sinistros envolveram pedestres (3) e ocupantes de carro (2). A redução de mortes é registrada em meio a retomada do fluxo de veículos na cidade.

Leia também | Câmara aprova punição para quem divulgar infração de trânsito nas redes sociais

Realizada em parceria com a Guarda Municipal de Fortaleza e a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), a operação Saturação pela Vida realizou 21.057 abordagens em setembro para aumentar a segurança viária e evitar mortes no trânsito. A escolha dos locais da fiscalização é definida com base no acompanhamento feito pela Plataforma Vida, que indica os bairros com maior índice de sinistros de trânsito.

“Nessas fiscalizações são avaliadas a situação do veículo e do condutor, e se apresentam algum comportamento de risco, como não possuir carteira de habilitação. Nós também levamos uma mensagem educativa que cada um é responsável no trânsito pela vida do outro”, afirma a gestora.

A operação também coíbe irregularidades que podem resultar na ocorrência de acidentes, como o uso inadequado do capacete e a combinação de álcool e direção. Dos 1.941 testes de bafômetro realizados, 12 positivaram e 147 recusaram, o que indica a ingestão de bebidas alcoólicas.

Com os reflexos mais lentos, o consumo de álcool diminui a vigilância, reduz a capacidade visual e pode propiciar a ocorrência de acidentes com alto índice de severidade.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário