Notícias

Ex-amante é suspeita de ter mandado matar vigilante

Mulher não aceitava fim do relacionamento e contratou três homens para cometer o crime.

Compartilhe:
6 de julho de 2022
Victor Mendes
Ex-amante é suspeita de ter mandado matar vigilante
Foto: Reprodução

Três homens e uma mulher foram presos pela Polícia Militar na tarde desta quarta-feira (6), no bairro Dias Macedo, em Fortaleza. Os suspeitos estão sendo acusados de realizar um latrocínio, roubo seguido de morte, na noite desta terça-feira (5) em uma empresa no bairro Aerolândia. A vítima do crime era um vigia, que mantinha um relacionamento extraconjugal com a mandante do crime.  

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<

Manuel Alexandre da Silva,  67 anos,  era aposentado e trabalhava como vigilante em uma empresa de inspeção veicular. Segundo as investigações, a mulher mandou matar o ex-amante pois não estava conformada com o fim da relação. As câmeras de segurança gravaram tudo. 

Os bandidos chegaram depois que o estabelecimento estava fechado, com a ajuda da mandante, que tinha acesso ao local. Em seguida, a vítima foi dominada, espancada e esfaqueada. O grupo ainda roubou do local monitores, celulares e dinheiro. 

Os quatro já tinham passagem pela polícia, um deles com uma lista grande de crimes realizados anteriormente. Um outro, era foragido da justiça do Estado de Pernambuco. 

Corpo de lutador de MMA é encontrado em Fortaleza

O corpo do lutador de MMA foi encontrado a uma distância de dois quilômetros da praia na Avenida Beira-Mar, em Fortaleza. Ele estava sendo procurado por equipes do Corpo de Bombeiros desde segunda-feira (4), quando desapareceu após entrar no mar para nadar.

Leia também | 19 banhistas são resgatadas de afogamentos na Praia do Futuro

Dois mergulhadores do Corpo de Bombeiros foram responsáveis pelo transporte do corpo até a beira da praia. Levando em consideração o local do afogamento, os mergulhadores confirmaram que se tratava de Jorge Cavalcante. A família dele também fez uma identificação preliminar e confirmou que se tratava do homem que era procurado.

Jorge Carvalho Cavalcante também era advogado e apaixonado pela prática esportiva. Foi, justamente, praticando uma dessas modalidades, a natação em águas abertas, que acabou culminando com essa tragédia.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<