POLÍCIA

Suspeito de fornecer equipamentos hospitalares falsificados é preso em Fortaleza 

Na investigação, foram apreendidos CDs e HDs, além de documentos, um aparelho celular e diversos insumos para exames com data de validade vencida

Compartilhe:
27 de julho de 2023
Portal GCMAIS

Um homem suspeito de fornecer equipamentos hospitalares falsificados para uma unidade de saúde pública na cidade de Quixeramobim, interior do Ceará, foi preso nessa terça-feira (25), em Fortaleza, pela Polícia Civil do Estado do Estado do Ceará (PC-CE). O suspeito, que foi identificado como Fred Carvalho Lopes, de 52 anos, é proprietário da empresa investigada e já tem antecedentes criminais por lesão corporal dolosa e constrangimento ilegal.

O trabalho investigativo iniciou após a denúncia de uma empresa, que detém os direitos de comercialização de uma marca de equipamentos médicos, sobre a falsificação de uma máquina que estava sendo utilizada em um hospital do município.

Com as informações apuradas, a unidade policial identificou a empresa que teria fornecido o equipamento para o hospital. O equipamento alvo da investigação trata-se de um instrumento utilizado para coleta e análise de sangue, e teria sido bastante utilizado durante o período da pandemia de Covid-19. De acordo com o andamento das investigações, a Polícia Civil solicitou ao Poder Judiciário pela busca e apreensão de itens que teriam ligação com o crime, assim como pela prisão preventiva do suspeito. No local, foram apreendidos CDs e HDs, além de documentos, um aparelho celular e diversos insumos para exames com data de validade vencida.

Após a prisão, Fred Carvalho foi colocado à disposição da Justiça. A Polícia Civil segue com as investigações em andamento com o intuito de capturar outras pessoas que tenham envolvimento com o crime, além de identificar outras unidades de saúde que tenham sido vítimas do suspeito.

Fornecer equipamentos hospitalares falsificados é crime 

É crime falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, com pena de reclusão, de 10 a 15 anos, e pagamento de multa. Nas mesmas penas incorre quem importa, vende, expõe à venda, tem em depósito para vender ou, de qualquer forma, distribui ou entrega a consumo o produto falsificado, corrompido, adulterado ou alterado.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As informações podem ser direcionadas para o (88) 3441.0302, o número da Delegacia Municipal de Quixeramobim.

As denúncias podem ser encaminhadas ainda para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, pelo qual podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Leia também| Suspeito de assalto é preso após tentar fugir da polícia em Maracanaú

>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

WhatsApp do GCMais

NOTÍCIAS DO GCMAIS NO SEU WHATSAPP!

Últimas notícias de Fortaleza, Ceará e Brasil

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp.