Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
SANGRIA
Governador do Amazonas é alvo de operação da PF que investiga desvio de verbas de combate à Covid
Ação atinge secretrário de Saúde por desvio de recursos da covid-19
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 2 de junho de 2021
Governador do Amazonas é alvo de operação da PF que investiga desvio de verbas de combate à Covid
Governador do Amazonas é alvo de operação da PF que investiga desvio de verbas de combate à Covid (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

O governador do Amazonas, Wilson Lima, é um dos alvos da quarta fase da Operação Sangria, da Polícia Federal (PF), nesta quarta-feira (2). Na ação, que apura supostas fraudes em licitação e desvios de recursos públicos durante a pandemia da covid-19, estão sendo cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária nas cidades de Manaus e Porto Alegre, além de sequestro de bens e valores.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

As buscas estão sendo feitas na casa de Wilson Lima, na sede do governo do Amazonas, na Secretaria de Saúde, na casa do secretário de Saúde, Marcellus Campêlo. A casa do dono do Hospital Nilton Lins e o hospital também estão na lista.

Crimes

Segundo a PF, há indícios de que funcionários da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas realizaram contratação fraudulenta para favorecer um grupo de empresários locais para a construção de um hospital de campanha, sob orientação da cúpula do governo do estado. “Esse local não atende às necessidades básicas de assistência à população atingida pela pandemia covid-19, bem como coloca em risco de contaminação os pacientes e os funcionários da unidade”.

Os contratos assinados em janeiro de 2021 com o Governo do Amazonas para serviços de conservação e limpeza, lavanderia hospitalar e diagnóstico por imagem no hospital de campanha têm indícios de irregularidades no processo licitatório, prática de sobrepreço e não prestação de serviços contratados.

Leia mais | Polícia Federal do Ceará tem novo superintendente

Os indiciados poderão responder pelos crimes de fraude à licitação, peculato e pertencimento a organização criminosa e, se condenados, poderão cumprir pena de até 24 anos de reclusão.

Governador do Amazonas ainda não se pronunciou

O governo do estado ainda não se pronunciou sobre as buscas contra governador do Amazonas em investigação sobre desvio de verbas de combate à Covid-19.

Com informações da Agência Brasil


Deixe seu comentário