Pfizer ia ressarcir Brasil se não entregasse as doses combinadas, mas Governo Federal ignorou negociações | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
COVID-19
Pfizer ia ressarcir Brasil se não entregasse as doses combinadas, mas Governo Federal ignorou negociações
Documentos mostram que a Pfizer se comprometeu a devolver o investimento brasileiro caso não entregasse todas as doses combinadas em agosto de 2020
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 14 de junho de 2021
Pfizer ia ressarcir Brasil se não entregasse as doses combinadas, mas Governo Federal ignorou negociações
Pfizer é produzida por uma farmacêutica norte-americana. Foto: Marco Verch / Flickr

Segundo os documentos que foram obtidos pelos senadores da CPI da Covid-19, o Brasil teria recebido uma mensagem da Pfizer em agosto do ano passado se comprometendo a ressarcir o Brasil caso não conseguisse entregar todas as doses de vacinas dentro do prazo determinado. Mesmo assim, o governo federal ignorou as tentativas de negociações da farmacêutica na época e só veio a fechar a compra em março de 2021.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Leia também | Vacina da Janssen: saiba tudo sobre o novo imunizante que o Ceará recebe nesta semana

Os documentos foram divulgados no último domingo (13) pela Rede Globo. Segundo o material, a embaixada do Brasil nos Estados Unidos teria enviado uma correspondência para o Ministério das Relações Exteriores do Governo Federal em 27 de agosto de 2020. Na mensagem, a Pfizer se compromete “a devolver ao governo brasileiro todo e qualquer pagamento antecipado, na hipótese em que a empresa não consiga honrar a obrigação de entregar a quantidade acordada da vacina”.

Leia também | Novo decreto no Ceará entra em vigor nesta segunda (14); confira as mudanças para cinemas, escolas e outros setores

A quantidade de vacinas que a Pfizer oferecia ao Brasil em agosto de 2020 era de 30 milhões de doses. Em depoimento à CPI da Covid-19, o gerente-geral da empresa na América Latina, Carlos Murillo, disse que a farmacêutica enviou 6 propostas de compras do imunizante para o Governo Federal. Posteriormente, o vice-presidente da Comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que a investigação da CPI havia identificado 53 e-mails da Pfizer que haviam ficado sem respostas.

O Governo Federal fechou um contrato de compras de vacinas com a Pfizer em março de 2021, garantindo 100 milhões de doses para o País. Logo depois, em maio, o Brasil fechou um novo contrato com a compra de mais 100 milhões.

>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Leia também | Covid-19: OMS aprova inclusão da CoronaVac em lista de uso emergencial


Deixe seu comentário