Queimados e esquartejados: suspeito confessa ter matado indigenista e jornalista inglês | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
CRIME BÁRBARO
Queimados e esquartejados: suspeito confessa ter matado indigenista e jornalista inglês
A Polícia Federal segue realizando perícias em locais indicados pelos suspeitos detidos
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 15 de junho de 2022
Queimados e esquartejados: suspeito confessa ter matado indigenista e jornalista inglês
Foto: Divulgação Polícia Federal

Um dos suspeitos capturados pela polícia confessou o assassinato do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo na Amazônia. Os corpos das vítimas foram esquartejados, incinerados e jogados em vala, segundo depoimento de Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como “Dos Santos”. As informações foram divulgadas pela imprensa, na tarde desta quarta-feira (15/06).

A Polícia Federal segue realizando perícias em locais indicados pelos suspeitos detidos e por outras testemunhas. O material genético dos familiares foi recolhido para análises em laboratório, visando ajudar nas investigações. O órgão ainda não se pronunciou oficialmente sobre as últimas atualizações divulgadas na imprensa.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

PF prende 2º suspeito de participação em desaparecimento de jornalista e indigenista

A Polícia Federal (PF) informou na noite da última terça-feira (14) que prendeu mais um suspeito de possível envolvimento no desaparecimento do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, na região do Vale do Javari, no oeste do Amazonas. O detido é Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como Dos Santos, de 41 anos.

Segundo informações divulgadas à imprensa, o suspeito teve a prisão temporária decretada e está sendo interrogado. Ele ainda será levado para audiência de custódia na Justiça de Atalaia do Norte (AM), que poderá manter a prisão. Oseney é o segundo suspeito de envolvimento no caso preso desde o início das buscas. Na semana passada, também foi detido o pescador Amarildo da Costa Pereira, conhecido como “Pelado”. Após audiência de custódia, ele teve a prisão estendida por 30 dias. Ele nega envolvimento no desaparecimento.

Leia mais | MPF acompanha desaparecimento de indigenista e jornalista na Amazônia

A PF, que está à frente das forças de segurança na Operação Javari, ainda informou o cumprimento de dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça nesta terça-feira, com a apreensão de “alguns cartuchos de arma de fogo e um remo, os quais serão objeto de análise”. No último domingo, bombeiros envolvidos na operação encontraram uma série de pertences dos dois desaparecidos. Segundo a PF, os itens encontrados foram: um cartão de saúde, uma calça preta, um chinelo preto e um par de botas pertencentes a Bruno e um par de botas de Dom.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário