Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
COMBUSTÍVEIS
O que são biocombustíveis? Tire as principais dúvidas
O biocombustível mais utilizado atualmente é o etanol, não só para abastecer veículos, mas para geração de energia
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 3 de maio de 2021
O que são biocombustíveis? Tire as principais dúvidas
Foto: Internet

Considerados fontes alternativas de energia, os biocombustíveis aparecem como uma opção de abastecimento com pouca emissão de gases poluentes, que são nocivos ao planeta. Além disso, são renováveis, diferente do petróleo que é um recurso finito.

Produzidas por meio do uso de matérias-primas como vegetais, milho, cana-de-açúcar, mamona e demais produtos agrícolas, o biocombustível mais utilizado atualmente é o etanol, não só para abastecer veículos, mas para geração de energia.

A fabricação do etanol acontece geralmente usando cana-de-açúcar, porque esse insumo desperta maior interesse econômico dos produtores brasileiros e também por ser uma matéria-prima que pode facilmente ser plantada. Ele é utilizado para equipamentos de motores leves e para automóveis.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

O etanol é consumido de duas maneiras pelos veículos: com água, o chamado etanol hidratado, que se vê normalmente nos postos; e o anidro, que é misturado à gasolina, na proporção de 27% do combustível que é vendido como gasolina no varejo. Esta, por sua vez, representa 73% da composição. Há também o biodiesel, porém este é produzido para ser misturado em 10% na composição do diesel e assim abastecer ônibus e caminhões.

Os benefícios dos biocombustíveis são vários: além de serem bem menos poluentes do que a gasolina tradicional, eles contribuem para reduzir os impactos da emissão de CO2 na camada de ozônio. Além disso, a produção deles também envolve questões econômicas que os beneficiam.

>>>Acompanhe a TV Cidade Fortaleza no YouTube<<<

“Não há dúvidas de que os biocombustíveis são importantes para a redução de prejuízos ao nosso planeta. Precisamos cada vez mais apostar na sua produção, a fim de que impactos ao efeito estufa sejam reduzidos”, finaliza Paulo Sérgio Pereira, vice-presidente do Sindipostos.


Deixe seu comentário