Mulher abriga família despejada de casa por não pagar aluguel, no Ceará | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
CEARÁ
Mulher abriga família despejada de casa por não pagar aluguel, no Ceará
O encontro aconteceu na última semana de dezembro de 2021
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 7 de janeiro de 2022
Mulher abriga família despejada de casa por não pagar aluguel, no Ceará
Foto: Governo do Ceará

Em um ato de solidariedade, Felícia Arsênio acolheu, dentro da própria casa, uma família com nove pessoas que foram despejadas por não conseguirem pagar o lugar em Juazeiro do Norte, no interior do Ceará. A mulher trafegava por uma rua da cidade do Cariri e encontrou a família, com seis crianças, um casal e a avó.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<

Mulher abriga família no Ceará

O encontro aconteceu na última semana de dezembro de 2021. “Vocês querem ir lá para casa até arrumar um lugar?”, perguntou a mulher. A família de nove pessoas morava em uma casa alugada, mas o casal (Rita de Cássia e Antônio Pereira) ficou sem renda após ficar desempregado.

Não é a primeira vez que Felícia Arsênio tem um ato de compaixão com o próximo. A mulher já abrigou outras pessoas que se encontravam em situação de vulnerabilidade. Ela é autônoma e não possui renda fixa.

Leia mais | Defensoria lança campanha de adoção de cartinhas para presentear crianças de abrigos do Ceará

Campanha de solidariedade

A Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará lançou o “Natal solidário para os abrigos”, campanha com cartas de crianças e adolescentes institucionalizados(as) nos 22 abrigos públicos de Fortaleza, que podem ser adotadas por qualquer pessoa da comunidade.

Um tênis para ir à escola, o kit escolar para as atividades, uma roupa e um calçado novo para melhorar a autoestima e até mesmo o ventilador para aliviar o dia a dia. Pedidos como estes estão descritos nas cartinhas de crianças, em campanha que visa acolher os sonhos que são divididos com a expectativa de que alguém, mesmo sem conhecê-los, possa abraçar seus desejos.

A ação é promovida anualmente pelo Núcleo de Atendimento da Defensoria Pública da Infância e da Juventude (Nadij) e chega à sua 4ª edição. “Estar institucionalizado é uma condição que acarreta um turbilhão de sentimentos. São crianças e adolescentes que tiveram os vínculos afetivos com a família biológica quebrados e sentem o peso da busca da origem, referências. A campanha do Natal Solidário é uma oportunidade de proporcionar um pouco de alegria e sorrisos!”, destacou a defensora pública Jacqueline Torres, titular do Nadij.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário