Auxílio Brasil: veja pré-requisitos para novo Bolsa Família que começa em novembro | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
NOVO PROGRAMA
Auxílio Brasil: veja pré-requisitos para novo Bolsa Família que começa em novembro
Saiba os procedimentos necessários para fazer parte da lista de beneficiários
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 16 de setembro de 2021
Auxílio Brasil: veja pré-requisitos para novo Bolsa Família que começa em novembro
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O Governo Federal, em especial a equipe econômica, está trabalhando no lançamento do Auxílio Brasil, o novo programa de transferência de renda que vai substituir o Bolsa Família. O benefício está programado para começar a ser pago em novembro deste ano, mas diversos detalhes ainda estão sendo definidos em Brasília. Alguns dos pré-requisitos para o Auxílio Brasil, porém, já são conhecidos.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Leia também | Saque do FGTS rende parcela maior ao trabalhador; saiba como

A Medida Provisória (MP) 1.061/2021, que institui a troca do Bolsa Família pelo Auxílio Brasil, já foi publicada e determina o público alvo deste novo programa, assim como alguns dos pré-requisitos. De acordo com o Governo, a meta é que o benefício chegue a mais pessoas do que o atual programa de transferência de renda, ultrapassando os 16 milhões de contemplados.

Quais são os pré-requisitos para o Auxílio Brasil?

Assim como o Bolsa Família, o Auxílio Brasil tem como população alvo as famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza. De acordo com a Caixa Econômica Federal, atualmente, são consideradas famílias extremamente pobres aquelas que têm renda mensal de até R$ 89,00 por pessoa. Já as famílias pobres são aquelas que têm renda mensal entre R$ 89,01 e R$ 178,00 por pessoa.

Leia mais | Microcrédito de até R$ 3 mil reais da Caixa: saiba quem tem direito e como fazer o empréstimo

Para se candidatar ao novo programa, é necessário que a família interessada esteja inscrita no Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do Governo Federal. Além disso, é importante que essas pessoas estejam com os dados atualizados, com prazo máximo de atualização em 2 anos.

Se você não está inscrito no CadÚnico, basta procurar o responsável pelo Programa Bolsa Família na prefeitura de sua cidade. Após o cadastro, mantenha seus dados sempre atualizados informando à prefeitura qualquer mudança de endereço e telefone de contato e modificações na constituição de sua família, como nascimento, morte, casamento, separação, adoção, etc.

Leia também: Caixa libera antecipação do saque do FGTS em até 3 anos de uma vez; saiba como aderir

É importante ressaltar que este cadastramento é um pré-requisito para fazer parte do Bolsa Família e, futuramente, do Auxílio Brasil, mas ele não garante que você será incluído no novo programa. Isso depende da quantidade de pessoas que serão aceitas no benefício.

Quanto vai pagar o novo Bolsa Família?

O Governo Federal planeja decidir ainda neste mês de setembro o valor do programa Auxílio Emergencial, conhecido como novo Bolsa Família. As propostas chegam até os R$ 1.200, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, não vem demonstrando uma visão positiva em relação a esses valores.

Leia também | 6ª parcela do auxílio emergencial começa amanhã (17); veja calendário

Em um seminário online promovido pelo Movimento Pessoas à Frente, nesta quarta-feira (15), o ministro Paulo Guedes afirmou que o reajuste para este novo Bolsa Família será “modesto e moderado”. Segundo ele, o Auxilio Brasil deve pagar uma quantia por volta de R$ 300, e não acima de R$ 600 ou R$ 700, “como querem fazer”.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário