Auxílio Brasil: valor pago em novembro não será de R$ 400, mas de R$ 230; saiba o motivo | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
NOVO BOLSA FAMÍLIA
Auxílio Brasil: valor pago em novembro não será de R$ 400, mas de R$ 230; saiba o motivo
Em novembro, valor para inscritos no Bolsa Família será, em média, de R$ 230. Quantia cheia depende de aprovação do Congresso
REDAÇÃO GCMAIS COM R7
Postado em 25 de outubro de 2021
Auxílio Brasil: valor pago em novembro não será de R$ 400, mas de R$ 230; saiba o motivo
Foto: Agência Brasil

Fontes do Governo federal informaram ao Blog do Nolasco, do Portal R7, que, no mês de novembro, o valor do Auxílio Brasil ainda não será de R$ 400. O pagamento de, no mínimo, R$ 400 prometido pelo Presidente Jair Bolsonaro, só deve começar a ser repassado em dezembro e depende da aprovação do Congresso Nacional.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Os parlamentares analisam a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que incluiu medidas para mudar a metodologia de reajuste do teto de gastos, a regra que limita o crescimento da dívida pública.

Atualmente, os beneficiários do Bolsa Família recebem, em média, R$ 190. Esse valor será reajustado em 20% e vai elevar o benefício médio para R$ 230. A expectativa é de que haja, com o Auxílio Brasil, um aumento no número de famílias atendidas de 14 milhões para 17 milhões de famílias.

A proposta, porém, é que estas vagas sejam usadas para zerar a fila de famílias que estão inscritas no CadÚnico, mas que ainda não fazem parte do Bolsa Família. Atualmente, estas pessoas estão fora do benefício por conta da falta de verba.

Já o auxílio emergencial acaba no fim do mês. Durante o período de existência, foram gastos com o Auxílio Emergencial cerca de R$ 365 bilhões.

Leia também | Pagamentos da 7ª parcela do auxílio emergencial terminam esta semana; confira o calendário

Auxílio Brasil de R$ 400 exige registro no Cadastro Único; saiba como fazer

Para receber o Auxílio Brasil, novo programa social que pagará R$ 400, em substituição ao Bolsa Família, os beneficiários deverão estar inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal. Por meio dele, a União saberá quem são as famílias de baixa renda no país.

Além dos dados atualizados no CadÚnico, a família deve ter renda mensal de meio salário mínimo por pessoa (R$ 550, atualmente) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3,3 mil, em valores atuais). A exigência não vale para quem recebe o Bolsa Família, pois a migração para o novo programa será automática.

A melhor maneira de saber se a família está cadastrada e se precisa atualizar as informações é por meio do aplicativo Meu CadÚnico. A ferramenta informa se o cadastro está desatualizado ou em processo de averiguação e permite a impressão de comprovantes.

Caso o usuário não tenha internet, deve procurar algum Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou um posto de atendimento do CadÚnico. O endereço mais próximo pode ser localizado no site Mapas Estratégicos para Políticas de Cidadania (MOPS).

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário