1 ano do Pix: sistema já é usado por 60% da população brasileira | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
BALANÇO
1 ano do Pix: sistema já é usado por 60% da população brasileira
Número de usuários saltou de 13 milhões de pessoas para mais de 101 milhões
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 16 de novembro de 2021
1 ano do Pix: sistema já é usado por 60% da população brasileira
PIX celebrou um ano no último dia 16. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Pix, sistema de pagamento instantâneo, completa 1 ano de criação nesta terça-feira (16) e já é utilizado por 60% da população adulta brasileira. Segundo dados do Banco Central, o número de usuários saltou de 13 milhões de pessoas, em novembro de 2020, quando estreou, para mais de 101 milhões em setembro deste ano.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Utilizado por instituições bancárias e fintechs, o Pix permite transferência bancária instantânea, sete dias por semana e sem custos para pessoas físicas.

Ainda conforme o Banco Central, o Brasil é o país que teve a adoção mais rápida ao sistema, que se aproxima de 350 milhões de chaves cadastradas. No entanto, a facilidade trouxe também uma preocupação: os assaltos virtuais, quando o criminoso obriga a vítima a fazer uma movimentação financeira.

Desde outubro, as transações entre pessoas físicas realizadas no período noturno têm um limite de R$ 1 mil. E, para aumentar a segurança do sistema, neste dia 16, entram em vigor novas regras.

Leia também | BC altera regras sobre infrações e penalidades de participantes do Pix

Novas regras do Pix em vigor a partir desta terça-feira (16)

Entre as mudanças, as instituições financeiras serão autorizadas a bloquear o recebimento de transferências via Pix a pessoas físicas por até 72 horas, caso haja suspeita que a conta beneficiada seja usada para fraudes.

De acordo com o banco, o bloqueio preventivo vai permitir que a instituição financeira faça uma análise mais cuidadosa de fraude em contas de pessoas físicas, aumentando a chance de recuperação dos recursos por vítimas de algum crime ou extorsão. O bloqueio será imediatamente comunicado ao usuário recebedor.

Também será obrigatório notificar e compartilhar informações sobre uma infração com as demais instituições sempre que houver consulta a uma chave. O uso de informações vinculadas às chaves Pix será ampliado para prevenir fraudes. E as instituições que oferecem o Pix serão responsabilizadas caso fique comprovado que a fraude aconteceu por causa de falhas nos mecanismos de segurança e de gerenciamento de riscos.

Em nota, o Banco Central informou que as medidas criam incentivos para que os participantes aprimorem cada vez mais seus mecanismos de segurança e de análise de fraudes.

Estão previstas, ainda, outras funcionalidades entre pessoas e empresas, entre elas Pix Saque, Troco, o Pix Garantido, com pagamento em parcelas com garantia para o recebedor, o Débito Automático por Pix e até o Pix internacional.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário