Custo do material escolar pode ficar até 30% mais caro em 2022 | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
ECONOMIA
Custo do material escolar pode ficar até 30% mais caro em 2022
A alta está relacionada com a inflação e o preço do dólar
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 4 de janeiro de 2022
Custo do material escolar pode ficar até 30% mais caro em 2022
Desde o mês de dezembro de 2021, pelo menos 60 escolas já receberam notificação do Procon. Foto: Pexels

O preço do material escolar pode subir até 30% em 2022, projeta a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE). A alta está relacionada com a inflação e o preço do dólar.

>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<

“Para 2022, temos reajustes elevados em todas as categorias de materiais escolares, variando de 15% a 30%, em média”, destaca o presidente da entidade, Sidnei Bergamaschi.

“São aumentos elevados e frequentes nas diversas matérias-primas como, por exemplo, papel, papelão, plástico, químicos, embalagem etc. Para os produtos importados, os principais impactos são a variação do dólar no Brasil, os aumentos de custos na Ásia e a elevação dos preços de fretes internacionais, decorrente da falta de containers”, pontua Bergamaschi.

Operação “Material Escolar 2022”

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) iniciou, em dezembro, a operação “Material Escolar 2022”. Pelo menos 50 escolas particulares da Capital já receberam notificação do Procon, que deu prazo de 10 dias para que as instituições de ensino apresentem a lista de itens de produtos, acompanhada da proposta pedagógica de utilização dos produtos nas atividades diárias dos alunos.

O objetivo é averiguar se, na lista há itens de uso coletivo, o que é considerada prática abusiva. As escolas só podem requisitar a pais e alunos itens de uso individual e que tenham relação pedagógica com o plano de ensino, como prevê a lei federal nº 12.886/2013.

Leia mais | Procon Fortaleza realiza operação Material Escolar 2022

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário