Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
MOBILIZAÇÃO
Greve dos motoristas de ônibus em Fortaleza começa nesta terça (8); confira o que pedem os trabalhadores
“Nossas famílias, assim como a de vocês, não compram a mesma quantidade de comida que antes. Tudo subiu e nossos salários ficaram para trás”, diz uma carta aberta dos motoristas
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 7 de junho de 2021
Greve dos motoristas de ônibus em Fortaleza começa nesta terça (8); confira o que pedem os trabalhadores
Foto: Prefeitura de Fortaleza

A greve dos motoristas de ônibus em Fortaleza deve começar por volta das 00h desta terça-feira (8). A paralisação dos serviços foi decretada em uma assembleia do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Ceará (Sintro) na última quinta-feira (3) e completa o prazo necessário de 72h para o início da greve nesta terça.

Leia também | Novo decreto no Ceará: restaurantes e shoppings passam a funcionar até 22h a partir desta segunda (7)

Em uma carta aberta publicada pelo setor, os trabalhadores afirmam que optaram pela greve “visto que se esgotaram todas as tentativas de negociações com os empresários”. Segundo o documento, os motoristas de ônibus sofreram uma perda salarial nos últimos dois anos e, por isso, reivindicam os reajustes. “Nossas famílias, assim como a de vocês, não compram a mesma quantidade de comida que antes. Tudo subiu e nossos salários ficaram para trás”, diz a carta aberta.

Os motoristas também pedem por prioridade na vacinação contra a covid-19. “Vocês são testemunhas de que os rodoviários não tiveram direito ao isolamento social. Considerado setor essencial, o transporte público virou um celeiro de contaminação da covid-19. […] Já temos mais de 20 colegas mortos e não recebemos a vacina, apesar das várias paralisações e protestos que realizamos. Nossa vida só tem valor para as nossas famílias”, diz o comunicado para a população.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus) publicou uma nota sobre a greve anunciada pelos motoristas. Segundo o material, os empresários reconhecem as demandas dos trabalhadores, mas alegam que a pandemia causou prejuízos para as empresas, o que dificulta a capacidade de reajustes.

“Reconhecemos que os trabalhadores do transporte coletivo, assim como outras categorias profissionais, foram afetados negativamente como consequência da pandemia. Em tempos normais, seus pleitos seriam razoáveis, mas a situação crítica das empresas dificulta sobremaneira o atendimento das reivindicações do sindicato laboral. Neste momento em que continuamos lutando contra um inimigo invisível e precisamos manter o esforço de redução de aglomerações no transporte coletivo, não é razoável falar em greve. Esperamos encontrar uma solução para o impasse, apesar de o Sintro ter interrompido a negociação. Em sendo necessário, buscaremos o Poder Judiciário para evitar transtornos e riscos inaceitáveis aos nossos passageiros e colaboradores”, diz a nota.

Além disso, o Sindiônibus também afirma que, desde o final do ano passado, está em contato com a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará na tentativa de viabilizar a vacinação prioritária dos motoristas de ônibus.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Greve dos motoristas de ônibus: confira as demandas dos trabalhadores

  • Reajustes salariais de 2020 e 2021
  • Reajuste a cesta básica
  • Retorno à operadora anterior de plano de saúde
  • Vacinação contra covid-19
  • Fim da dupla função (dirigir e passar o troco)

Deixe seu comentário