Caso Alana: após quatro meses, amigos e familiares continuam cobrando por justiça | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
FORTALEZA
Caso Alana: após quatro meses, amigos e familiares continuam cobrando por justiça
Mesmo após este tempo, o acusado pelo crime continua solto
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 29 de julho de 2021
Caso Alana: após quatro meses, amigos e familiares continuam cobrando por justiça

Após mais de quatro meses do assassinato de Alana Beatriz, os familiares e amigos da estudante continuam cobrando por justiça neste caso. Na manhã desta quinta-feira (29), o grupo foi até o Palácio da Abolição, sede do Governo do Ceará, para pedir apoio às autoridades. Os manifestantes pediram pela prisão do empresário que é suspeito de ter atirado contra Alana.

>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<

Leia também | DJ Ivis é indiciado pela Polícia Civil do Ceará por lesão corporal, injúria e ameaça

“A gente vai brigar até que a justiça seja feita. E eu acredito que vai ser. A gente tem que ter fé que tudo vai dar certo”, disse a mãe da vítima em entrevista à TV Cidade Fortaleza durante os protestos. “É uma dor muito grande”, disse a mulher quando questionada sobre o fato de que até esta data o homem não está preso.

Caso Alana: após quatro meses, amigos e familiares continuam cobrando por justiça

Imagem do protesto desta manhã | Foto: Mara Rodrigues

Relembre o caso Alana

Alana Beatriz Nascimento de Oliveira, de 25 anos, foi encontrada morta na casa de um empresário no bairro Luciano Cavalcante. O crime aconteceu no dia 21 de março. A jovem estudante participava de uma festa no local quando os demais convidados foram embora e ela ficou na casa e acabou sendo atingida por um tiro na cabeça que foi disparado pelo empresário.

Imagens de câmeras de segurança que foram obtidas posteriormente mostram o homem saindo da casa em um veículo pela manhã depois que o crime aconteceu.

Posteriormente, o empresário foi indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar. A Polícia Civil do Ceará pediu a prisão do homem e o Ministério Público foi a favor, mas a 4ª vara do Júri de Fortaleza expediu apenas um mandado de busca e apreensão contra ele.

Leia também | Vídeo: moto derrapa e carro quase passa por cima da cabeça de mulher em Sobral

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário