Príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, perde títulos militares após acusação de agressão sexual | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
ESCÂNDALO NA COROA BRITÂNICA
Príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, perde títulos militares após acusação de agressão sexual
Com a medida, Andrew não usará mais o título de Alteza Real.
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 13 de janeiro de 2022
Príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II, perde títulos militares após acusação de agressão sexual
Príncipe Andrew ao lado da mãe, Rainha Elizabeth II. Foto: Karwai Tang/ WireImage

Envolvido em um processo civil nos Estados Unidos por agressão sexual, o príncipe britânico Andrew, filho da rainha Elizabeth II, perdeu nesta quinta-feira (13) seus cargos honorários à frente de regimentos militares e associações de caridade. Dessa forma, ele não usará mais o título de Alteza Real.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Como repercussão do caso do príncipe Andrew em caso de agressão sexual, um comunicado divulgado pelo Palácio de Buckingham informa que, com a aprovação e o acordo da rainha Elizabeth II, “as afiliações militares e os patrocínios reais do duque de York foram devolvidos”.

Também esta semana, mais de 150 veteranos do exército britânico formalizaram um pedido à rainha, para que ela retirasse os títulos militares de Andrew, que recebeu distinção como herói da Guerra das Malvinas (1982), quando tinha na época 22 anos.

Leia também | Sozinha, Rainha Elizabeth II grava seu primeiro discurso de Natal sem Philip

No pedido, os militares britânicos argumentaram que Adrew não cumpriu as obrigações de “probidade, honestidade e comportamento honrado” que os militares britânicos têm.

Além da perda dos cargos honorários, Andrew deixará de usar o título de Alteza Real, indicou uma fonte da casa real. “O duque de York continuará sem desempenhar nenhuma função pública e se defenderá neste caso na qualidade de cidadão privado”, informa o comunicado.

Príncipe Andrew e acusação de agressão sexual

Andrew é acusado de agressões sexuais, em denúncia apresentada por Virginia Guiffre, que alega ter sofrido abuso sexual dele em 2001, quando tinha 17 anos.

A respeito do processo civil movido contra ele na justiça americana, o príncipe nega as acusações. Agora, Andrew terá que enfrentar um julgamento civil, no qual responderia, no primeiro momento, por meio de uma declaração gravada no Reino Unido.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

A menos seja bem-sucedido em uma apelação ou os dois lados cheguem a um acordo financeiro, as audiências sobre o caso poderão ser realizadas no outono boreal.

O escândalo envolvendo Andrew, que é considerado por muitos como o “filho predileto” de Elizabeth II, é mais um dos casos casos que arranham a imagem da monarquia britânica com os quais a soberana de 95 anos tem tido que lidar.


Deixe seu comentário