Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
BATE-BOCA
Decisão de não convocar prefeitos gera bate-boca entre Omar Aziz e Eduardo Girão na CPI da COVID
Omar Aziz (PSD) subiu o tom contra o senador Eduardo Girão (Podemos) durante a sessão desta quarta-feira (26)
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 26 de maio de 2021
Decisão de não convocar prefeitos gera bate-boca entre Omar Aziz e Eduardo Girão na CPI da COVID
Aziz e Girão durante a sessão na CPI. Foto: EFFERSON RUDY / AGÊNCIA SENADO

A sessão desta quarta-feira (26) da CPI da Covid foi marcada por um bate-boca entre o presidente da Comissão, Omar Aziz (PSD), e o senador cearense Eduardo Girão (Podemos). No auge da discussão, Aziz subiu o tom e chamou Girão de oportunista.

A discussão teve início após o senador do Podemos pedir a inclusão de prefeitos de capitais, mesmo após acordo secreto para não chamá-los à CPI, apenas governadores – alguns membros alegaram, contudo, que não fazem parte do conchavo, uma vez que gestores estaduais e municipais não são objeto da Comissão.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

“Toda sociedade brasileira que tem o mínimo de inteligência sabe que a vossa Excelência está aqui com um único objetivo: que a gente não investigue o porque que não comprou vacina. E vossa Excelência que não entende patavina de saúde quer impor a cloroquina na cabeça da população. Vossa Excelência, eu repito, é oportunista”, disparou Aziz.

Na sequência, membros da comissão pediram calma aos senadores. Aziz, contudo, subiu o tom. “Calma não. Nós acordamos lá e eu repeti que o senador Eduardo Girão vai querer tirar proveito disso”, disse. Girão, então, questionou: “Proveito de que?”.

Aziz, então, afirmou que não cometeu nenhuma agressão e, caso contrário, que o levasse ao Conselho de Ética do Senado. “Vossa Excelência não respeita ninguém, age sorrateiramente, não respeita ninguém”, acrescentou.

A confusão

O bate-boca teve início após Girão levantar a questão sobre o requerimento de convocação de prefeitos de capitais brasileiras. Mais cedo, os membros da CPI se juntaram numa sala para uma reunião secreta, com o objetivo de analisar os pedidos de convocação.

“E é aí que eu quero divergir dos colegas respeitosamente. Eu não concordei com acordo de não olhar para prefeitos. A demanda é clara: estados e prefeituras. Se o critério é capital, tem que entrar capital. Mas o que eu quero fazer o pedido, extra pauta, é para o diretor-geral do Consórcio Nordeste”, argumentou Girão.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

O pedido, contudo, foi negado pelo presidente da CPI. Anteriormente, os membros aprovaram requerimentos de convocação de nove governadores e um ex-governador (Rio de Janeiro), além da reconvocação do ex-ministro Eduardo Pazuello (Saúde) e o atual ministro da pasta, Marcelo Queiroga.

Resposta em nota

Por meio de sua assessoria de imprensa, o senador Eduardo Girão enviou nota em que comenta o bate-boca com Aziz. Confira o material na íntegra:

A atitude agressiva do presidente da CPI Omar Aziz se deu num momento em que eu, de forma serena e respeitosa, estava me manifestando contra mais um “acordão na CPI”, visando blindar a convocação do Consórcio Nordeste, além de prefeitos e ex-prefeitos cujos municípios foram alvo de ações da Polícia Federal.

Não respondi as ofensas pessoais porque considero que a população não merece de nós espetáculos degradantes provocados por senadores que tinham obrigação de dar bons exemplos à sociedade. O povo continua esperando uma CPI verdadeiramente imparcial e que apure irregularidades nas 3 esferas de governo.

Ser destratado por defender os interesses da nação para que TODA A VERDADE venha à tona é motivo de honra para mim. Entrei na política para transformar as pessoas disseminando o bem e não para se deixar contaminar por comportamentos maldosos. Se eu der o troco na mesma moeda, eles terão vencido.

“No olho por olho e dente por dente, a humanidade acabará cega e sem dentes” (Mahatma Gandhi)

Paz&Bem!

Sen. Eduardo Girão

 

Com informações do R7


Deixe seu comentário