Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
POLÍTICA
PT diz que Amado Batista vai enfrentar a Justiça após chamar Lula de “ladrão”
Em entrevista a uma rádio, Amado Batista disse: “Lula é um ladrão, só vota nele quem gosta de ladrão"
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 5 de junho de 2021
PT diz que Amado Batista vai enfrentar a Justiça após chamar Lula de “ladrão”
Foto: Divulgação

Na tarde deste sábado (5), a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, afirmou que o músico Amado Batista terá que enfrentar a Justiça, “assim como outros que mentiram sobre Lula e sua família”. A declaração foi feita através de uma publicação no twitter.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Leia também | Governadores do Nordeste se reúnem para discutir plano de vacinação após aprovação da Sputnik V

Em uma entrevista dada à Rede Nordeste de Rádio, no final do mês de maio, o músico Amado Batista defendeu o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) e afirmou: “Lula é um ladrão, só vota nele quem gosta de ladrão. Diferente de Bolsonaro, que não rouba”.

Apesar da declaração ter sido feita na semana passada, a resposta da cúpula do PT veio apenas hoje. Por volta das 12h40, Gleisi Hoffmann publicou:

“Amado Batista terá de enfrentar a Justiça, assim como outros que mentiram sobre Lula e sua família. Quem faz acusação falsa tem de ser responsabilizado pelo que diz, seja famoso ou não. A propósito, o STF acaba de divulgar o acórdão da suspeição de Moro. Cuidado com a língua, mentirosos”, escreveu a presidente do PT.

Ainda não há informações sobre quais ações judiciais serão tomadas contra Amado Batista.

Leia também | Ocupação das UTIs no Ceará está em alerta crítico desde fevereiro, segundo Fiocruz

O músico é considerado um dos principais apoiadores de Bolsonaro no meio artístico e já fez diversas declarações em apoio ao presidente. No final do mês de maio de 2020, quando o Brasil já enfrentava a pandemia de covid-19, Bolsonaro foi recebido por Amado Batista para um churrasco em sua casa e as fotos circularam nas redes sociais. Durante esta entrevista mais recente, o músico afirmou estar mais distante de Bolsonaro, mas “a nossa amizade é antes de ele ser presidente”.


Deixe seu comentário