Presidente Bolsonaro planeja visita ao Ceará em fevereiro | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
TOUR PELO NORDESTE
Presidente Bolsonaro planeja visita ao Ceará em fevereiro
Possível viagem foi revelada em conversa com apoiadores nesta terça-feira (18)
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 18 de janeiro de 2022
Presidente Bolsonaro planeja visita ao Ceará em fevereiro
Bolsonaro conversou com apoiadores no Palácio da Alvorada. Foto: Agência Brasil

Em conversa com apoiadores nesta terça-feira (18), no Palácio da Alvorada, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro manifestou o desejo de viajar ao Ceará em fevereiro. A visita faria parte um tour que o chefe do executivo federal planeja fazer no próximo mês pelo Nordeste. A rota da viagem incluiria ainda uma passagem pela Paraíba.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

“Vou estar no mês que vem na Paraíba e acho que Ceará também”, declarou Bolsonaro, durante o bate-papo com os seus apoiadores, ao ser questionado sobre o planos de visitar o Nordeste.

Leia também | Em rede social, Bolsonaro defende a liberação de autotestes de covid-19

A viagem ao Ceará é encarada como estratégica pela equipe de Bolsonaro, tendo em vista que o presidente não desfruta de grande popularidade entre o eleitorado, em um Estado que é o reduto político de Cid Gomes (PDT) e historicamente registra altos índices de votação a Luiz Inácio Lula da Silva (PT), concorrentes diretos de Bolsonaro na corrida presidencial em 2022.

Bolsonaro, Ceará e a rejeição no Nordeste

No geral, a região Nordeste é onde o atual presidente possui a maior rejeição, segundo apontam as pesquisas. No levantamento mais recente, divulgado pelo Datafolha, em dezembro passado, Bolsonaro registrou 67% de rejeição no Nordeste, acima da média nacional, que é 60%.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Numa tentativa de reverter esse quadro, o presidente aposta suas fichas no Auxílio Brasil, novo programa de redistribuição de renda do Governo Federal, que substitui o Bolsa Família. O benefício atualmente é fixado no valor de R$ 400, que o governo espera manter até o fim de 2022, com possibilidades de aumento.

 

 

 

 


Deixe seu comentário