Janssen suspende o envio de 3 milhões de vacinas nesta terça-feira (15), diz portal | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
COVID-19
Janssen suspende o envio de 3 milhões de vacinas nesta terça-feira (15), diz portal
Ainda não foi divulgada uma nova data para entrega
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 14 de junho de 2021
Janssen suspende o envio de 3 milhões de vacinas nesta terça-feira (15), diz portal
Foto: Divulgação

A entrega das 3 milhões de doses de vacinas contra covid-19 da Janssen, que estava programada para acontecer nesta terça (15), foi suspensa. A informação foi publicada pelo portal da BandNews TV.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Até o momento, o Governo Federal ainda não publicou o motivo que teria causado o cancelamento do envio de vacinas. A suspensão desta entrega de terça-feira não significa que as vacinas deixarão de ser entregues, mas ainda não foi divulgado um novo prazo de envio.

Esta remessa que chegaria neste dia 15 já ia ser entregue no Brasil próximo ao final do prazo de validade. Os imunizantes adquiridos pelo Governo Federal estão com prazo de vencimento para o dia 27 de junho. Por esse motivo, ela seria entregue exclusivamente para as capitais do Estado.

Leia também | Fortaleza terá repescagem de segunda dose da CoronaVac no próximo domingo (20)

O Ceará estava programado para receber cerca de 120 mil doses da vacina contra covid-19 da Janssen. Aqui, ela seria usada na imunização do público entre 30 e 44 anos de idade, em ordem decrescente.

A vacina da Janssen é aplicada em dose única, e utiliza uma tecnologia de vetor viral não replicante, ou seja, há uma modificação do adenovírus para que ele perca o poder de replicação. Com isso, ele não é capaz de causar nem mesmo um resfriado. Depois, os cientistas colocam parte do material genético do Sars-CoV-2 nele. Ao entrar no organismo, esse composto induz nosso sistema imunológico a produzir anticorpos contra o coronavírus, sem o risco de gerar a Covid-19.

>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Leia também | Pfizer ia ressarcir Brasil se não entregasse as doses combinadas, mas Governo Federal ignorou negociações


Deixe seu comentário