Estudo indica que vírus da "doença do beijo" pode causar esclerose múltipla | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
SAÚDE
Estudo indica que vírus da “doença do beijo” pode causar esclerose múltipla
Cientistas analisaram mais de 10 milhões de jovens adultos na ativa nas Forças Armadas dos Estados Unidos
REDAÇÃO GCMAIS COM R7
Postado em 19 de janeiro de 2022
Estudo indica que vírus da “doença do beijo” pode causar esclerose múltipla
Foto: Divulgação

Uma pesquisa norte-americana identificou o vírus “Epstein-Barr” (EBV), vetor do “doença do beijo”, como possível causador da esclerose múltipla. Os resultados foram publicados no último dia 13 na revista Science.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

A esclerose múltipla é uma doença autoimune que ataca o sistema nervoso central, levando à incapacidade total do indivíduo em casos mais severos. Os sintomas incluem formigamento nas extremidades, no tronco ou na face, fraqueza ou atitudes desajeitadas em um membro inferior ou na mão e distúrbios visuais. A doença afeta também a parte cognitiva, levando a quadros de desatenção e dificuldade de julgamento.

O vírus Epstein-Barr, também conhecido como herpesvírus humano 4, é o causador da mononucleose infecciosa, mas também está associado a alguns tipos de câncer, como o linfoma de Hodgkin. O EBV pode, segundo os pesquisadores de Harvard, após a mononucleose infecciosa, “estabelecer uma infecção latente e vitalícia no hospedeiro”.

Para determinar a conexão entre o vírus e a esclerose múltipla, os cientistas analisaram mais de 10 milhões de jovens adultos na ativa nas Forças Armadas dos Estados Unidos. Eles coletaram amostras de soro dos militares a cada dois anos. 955 deles foram diagnosticados com esclerose múltipla durante o período de serviço.

Como o acompanhamento foi periódico, eles conseguiram verificar desde o início quais já tinham tido contato com o EBV e os que tiveram contato ao longo do estudo. Entre os que foram infectados pelo vírus da “doença do beijo” no primeiro ano de serviço, o risco de esclerose múltipla aumentou em 32 vezes.

Leia também | Posso fazer o teste de Covid-19 depois de tomar a vacina? Especialista responde

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário