Especialista explica os riscos do álcool para diferentes tipos de câncer | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
SAÚDE
Especialista explica os riscos do álcool para diferentes tipos de câncer
De acordo com um estudo publicado na revista científica The Lancet Oncology em 2021, mais de 4% de todos os novos casos da doença foram relacionados ao consumo de álcool.
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 23 de junho de 2022
Especialista explica os riscos do álcool para diferentes tipos de câncer
Foto: Pexels

O excesso no consumo de álcool traz muitos malefícios para a saúde e um deles é o câncer. De acordo com um estudo publicado na revista científica The Lancet Oncology em 2021, mais de 4% de todos os novos casos da doença foram relacionados ao consumo de álcool. E com o cenário de pandemia, o consumo só cresceu.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig) mostra que 55% da população brasileira tem o hábito de consumir bebidas alcoólicas, sendo que 17,2% delas declararam aumento do consumo durante o isolamento social, associado a quadros de ansiedade graves.

Relação do álcool com o câncer

“O álcool é um fator de risco para algumas enfermidades, podendo agravar o quadro de saúde de pacientes com predisposição a determinadas doenças. O uso em excesso de bebidas alcoólicas pode aumentar a incidência, inclusive, para alguns tipos de câncer e os mais comuns deles podem ocorrer na boca, faringe e regiões intestinais”, detalha a oncologista e professora de medicina Lygia Tinoco.

A especialista destaca que o álcool causa danos ao corpo. “O álcool causa reações que podem impedir o organismo de restaurar estruturas celulares comprometidas. Essa alteração no funcionamento corporal pode contribuir para o surgimento de células cancerígenas”, destaca.

A médica afirma que o álcool causa um processo inflamatório no fígado, o que pode levar à cirrose, processo no qual o órgão perde suas funções pela fibrose causada pela doença.

“Esta inflamação é crônica, ocasionada pela metabolização hepática do álcool. Com o passar do tempo essas lesões impedem a regeneração das células e a circulação sanguínea, causando fibrose do tecido hepático”, alerta a especialista.

Tinoco destaca a importância do diagnóstico e o tratamento precoce capazes de regredir as lesões provocadas pela doença. “O acompanhamento médico preventivo é essencial para retardar as principais sequelas, além de cuidar da alimentação e evitar hábitos prejudiciais”, acrescenta.

Dicas e hábitos saudáveis para combater possível doenças

– Faça atividade física na maioria dos dias da semana;

– Tenha uma alimentação rica em fibras (frutas, vegetais e grãos) e pobre em gorduras animais;

– Não fume;

– Evite o consumo de bebidas alcoólicas;

– Realize exames preventivos;

– Se têm casos de câncer ou doença de intestino na família, avise seu médico

Leia mais | Mais de 1.700 armas de fogo são apreendidas no Ceará em 2022

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Deixe seu comentário