Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
TURISMO
Fortaleza e Natal irão trabalhar turismo integrado entre as duas capitais
O projeto também já conta com um roteiro detalhado, com sugestões de passeios diversificados, indo do turismo de aventura ao de contemplação
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 7 de junho de 2021
Fortaleza e Natal irão trabalhar turismo integrado entre as duas capitais
Foto: Reprodução

Fortalecer o turismo entre as duas capitais. Esse é o objetivo do projeto Rota do Sol Nordeste – Turismo Integrado Fortaleza/Natal, que também inclui Canoa Quebrada (CE) e Pipa (RN). Com data de lançamento marcada para 15 de junho, em Natal, e 17 do mesmo mês, em Fortaleza, o projeto reúne as secretarias municipais de Turismo e as prefeituras dos municípios envolvidos.

Concebido no final de 2019 para ser lançado no primeiro semestre de 2020, o projeto ficou parado devido à pandemia. Mas foi retomado há poucos meses e elaborado levando em conta os cuidados necessários quanto à biossegurança de viajantes e trabalhadores do turismo.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

“Este é um projeto inovador, pois é a primeira vez que duas capitais se unem para se promoverem juntas, ao invés de disputarem o mesmo turista”, ressalta Alexandre Pereira, secretário do Turismo de Fortaleza.

“No final de 2019, fui a Natal levar a ideia ao secretário Fernando Fernandes, que não só acolheu, como se entusiasmou com o projeto. Também apresentei a ideia ao ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, que manifestou interesse em tornar essa uma política pública no País”, acrescenta.

Como vai funcionar?

Na prática, o projeto consiste em um pacote de uma semana de viagem incluindo Fortaleza e Natal e as duas praias citadas. A ideia é que o turista inicie a viagem por uma das capitais e volte para casa pela outra. De acordo com Alexandre Pereira, o projeto foi inspirado nas experiências dos países europeus, onde é muito comum o turista chegar no continente por um país e sair de lá por outro.

Para o secretário municipal do Turismo de Natal, Fernando Fernandes, o projeto também vai ajudar a impulsionar a economia, que vem sofrendo grandes perdas neste período de controle das atividades.

“Sabemos que o turismo foi o primeiro setor a sentir o impacto da pandemia. Essa ideia surgiu antes de tudo isso, mas hoje vemos que ganhou força, pois há uma demanda maior por viagens internas”, observa. “Por outro lado, o projeto impulsionará a economia nesses municípios, onde o profissional de turismo está ávido por voltar a trabalhar como antes”, conclui.

O projeto também já conta com um roteiro detalhado, com sugestões de passeios diversificados, indo do turismo de aventura ao de contemplação, compras, ecologia e balada, entre outros. E prevê ainda a divulgação do produto em feiras, road trips e outros eventos.

“Nossas belezas naturais”

Para Bismarck Maia, prefeito de Aracati, onde fica a Praia de Canoa Quebrada, mais cedo ou mais tarde as coisas irão normalizar e é preciso estar preparado para a retomada. “Normalmente, sem pandemia, o movimento de turistas de Canoa Quebrada é praticamente a metade do movimento de cinco agências bancárias. Isso hoje está parado”, conta. “Mas estamos convencidos de que vamos voltar a ser o que éramos antes e esse projeto é uma importante iniciativa nesse sentido”, avalia.

Lavoisyer Macena, secretário do Turismo de Tibau do Sul (RN), que engloba a Praia da Pipa, ressalta que os quatro destinos estão entre os mais buscados no Nordeste por turistas nacionais e estrangeiros. “Nossas belezas naturais, estrutura hoteleira, gastronômica e a forma em que nossa gente acolhe turistas do Brasil e do mundo, são características ideais para tornar esse projeto uma importante ferramenta na retomada econômica”, avalia.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<


Deixe seu comentário