'+ Pets

Como educar meu cachorro?

Compartilhe:
5 de novembro de 2020
Jonas Viana
Como educar meu cachorro?

Uma vez, uma colega entrou na minha casa e disse: “Nossa! Sua casa não tem cheiro de cachorro!” Toco nesse assunto pois o costume seria dizer o contrário. Contudo, não é por causa do dog, mas sim por causa da gente. Eu, pelo menos, busco ter zelo e cuidado pelo meu espaço e pelo espaço em que a minha cachorrinha, a Bolota, fica.

Se você não tiver um cuidado adequado, sua casa vai ter odores por falta de manutenção. Pensando nisso, você pode limpar o pet ao urinar, usar lencinhos adaptáveis para ele, limpar as fezes de imediato, e, se o cachorrinho se melou ao comer, você pode limpar também. Assim, você previne o bichinho de ter problemas, como infecções ou algo do tipo.

“Os cachorros comem… têm dentes… preciso escovar?!”

Eu digo, se possível, sim! Porque eles têm hálito também, uns mais acentuados e outros nem tanto… Eles são como nós humanos (risos). Alguns, inclusive, têm bafo de dragão… Se for viável escovar a boca do cão, faça isso ou ainda ofereça meios para que ele realize essa escovação naturalmente.

Aí, você me pergunta: Mas como, Tchali?! Eu digo: oferecendo brinquedos adequados para isso, como os de nylon. Temos um leque de opções no mercado pet (na Bolota Pets tem esse material).

Contudo, vale lembrar que, mesmo com a escovão dental e certos cuidados na limpeza geral, os pelos mortos do pet podem contribuir para o mau cheiro da casa. A dica, então, é que utilizar produtos pets de higiene e de limpeza de urina, de fezes, que o mercado oferece, propriamente para esses cachorros, com soluções que tiram odores do ambiente.

“Eu não aguento! O cachorro roeu tudo, morde demais e é um furacão!”

“Calma, calma, não criemos pânico” (risos).

Ele é penas um filhote e vai ser assim ainda por alguns longos meses. Para isso, vai servir a educação pet e a convivência que vocês irão ter no dia a dia.

Uma observação importante: se você tem filhos, deve lembrar que, nessa fase de bebê, eles adoravam botar tudo do chão na boca e brigavam muito não é mesmo?! É mais ou menos assim… Às vezes, por esses atos, pode ser dado um NÃO firme! Sobre esse NÃO, existem vários estudos. Mas isso é assunto para os próximos capítulos.

Busquem educar seu pet de uma forma que não o traumatize. É a partir da relação entre vocês que ele vai aprender a se comunicar da melhor maneira.

“Meu tempo é muito corrido, eu tenho tempo?!”

É um ponto bom a ser lembrado! Avalie realmente se você tem tempo para ser responsável por um cãozinho. Reflita da seguinte forma: “Quem vai alimentá-lo? Quem vai limpá-lo? Quem vai levá-lo para passear? Quando adoecer, quem vai cuidar?!” São essas as questões que você precisa pensar antes de adquirir um pet. A melhor pessoa para respondê-las é você mesmo!

“Surgem mais dúvidas com base no tempo…”

Quais as melhores raças para isso e para aquilo? Em resumo, o “trabalho” é o mesmo, o cuidado certo é o mesmo, mas, mesmo assim, você quer tê-lo?! Aproveite alguma de suas férias para isso, seria um bom começo.

Bom, tentei! O cachorro é uma peste! Não tenho esse tempo e não quero gastar dinheiro para educá-lo! Agora vou deixar minha secretária cuidar ou minha diarista. NÃO! Esse NÃO redondo é para você (risos). A obrigação é sua, os laços e convívio com o pet devem ser seu. Não sobrecarregue alguém com suas obrigações, reflita e pense antes. Caso você goste de ler, acompanhe essa coluna, pesquisa livros sobre o assunto, assista a vídeos e ouça nosso podcast.

Lembre-se: você é o dono do cachorro, tem que ter pelo menos uma hora livre para seu pet!

“Por fim, saiba que tudo isso reflete na criação do pet”

Na educação e na socialização do animal, mesmo pelo sim ou pelo não, pense e repense. Um serzinho desses também pode sofrer de ansiedade, stress e até mesmo depressão. Com todas essas dicas e puxões de orelhas (risos), será possível criar uma relação básica com seu melhor amigo e companheiro fiel, o cão!