Tratamento precoce continua sendo o maior aliado contra o câncer infantil | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
PUBLIEDITORIAL
Tratamento precoce continua sendo o maior aliado contra o câncer infantil
Oncologista pediátrica explica como identificar os sinais iniciais e combatê-los
REDAÇÃO HAPVIDA
Postado em 24 de janeiro de 2022
Tratamento precoce continua sendo o maior aliado contra o câncer infantil
Foto: Pexels

O câncer infantil é uma doença que afeta os glóbulos brancos (leucemia), ou sistema nervoso central e linfomas (sistema linfático) do organismo, mas que através do tratamento precoce, sua chance de cura pode chegar a mais de 80%.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Nas últimas quatro décadas, o progresso no tratamento do câncer na infância e na adolescência foi extremamente significativo. Hoje, em torno de 80% das crianças e adolescentes acometidos de câncer podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados.

Especialistas, inclusive, destacam que a maioria deles tem grandes chances de ter uma boa qualidade de vida após o tratamento adequado. A oncologista pediátrica do Sistema Hapvida, Paula Marinho Carvalho, ressalta que o tratamento precoce sempre será um forte aliado no combate à doença.

“Atualmente, os principais tratamentos para o câncer infantil são cirurgia, quimioterapia e radioterapia. Os tratamentos vêm evoluindo com o passar dos anos, com descoberta de medicações novas, novas técnicas cirúrgicas e aparelhos mais modernos de radioterapia.”

Leia também | Aumento de chuvas pode facilitar surgimento de pneumonias

Sinais para o tratamento precoce do câncer infantil

A médica explica também que é preciso estar atento com alguns sintomas comuns que a doença apresenta. “Os principais sintomas são febres sem motivo, gânglios aumentados pelo corpo, aumento do tamanho da barriga, mancha branca no olho, dor nos ossos, perda de peso sem explicação, dor de cabeça que dura muito tempo, manchas roxas pelo corpo que não tem relação com trauma, palidez com piora progressiva, cansaço sem causa e sangramentos espontâneos”.

Ela reforça que ao se deparar com esses sinais em crianças ou adolescentes, o mais correto é procurar ajuda médica o mais rápido possível.


Deixe seu comentário