'+ Variedades

Dopamine dressing, a nova onda fashion

Compartilhe:
20 de abril de 2022
Jonas Viana
Dopamine dressing, a nova onda fashion

Dopamine dressing é uma onda fashion que vem ganhando força, desde a pandemia. Um modo diferente de se vestir que fez surgir a pergunta que não sai, não sai da minha mente: a moda morreu? Indagação que viralizou, nas redes, depois que a apresentadora Maisa e a atriz Bruna Linzmeyer participaram de um programa de TV com roupas, sigamos, extravagantes.

Esse estilo é caracterizado por looks mega coloridos, cheios de brilho, modelagem diferenciada e estampas. Além de uma total liberdade de stylist. E só lembrando que a palavra dopamina se refere a um neurotransmissor, produzido pelo organismo, responsável pela  sensação de felicidade.

Dopamine dressing

Atriz Bruna Linzmeyer, apresentadores Sérgio Groisman e Maisa. Elas causaram polêmica fashion, em looks extravagantes

ACOMPANHE ROBERTA, NAS REDES SOCIAIS

https://www.instagram.com/robertafontellesphilomeno/

Esse dress code é traduzido como um ato de resistência, um convite a quebra de padrões, muita ousadia e celebração da vida. É, na verdade, um convite para a gente fugir do obvio, furar a bolha, sair do comodismo, quebrar todos os padrões. Transgredir. Tudo! É fazer e usar o que bem entender, sem limites, sem regras!!! Olha que essa parte eu gostei. E você?

LEIA MAIS

 

Imunidade: turbine seu corpo

Máscara facial: pele perfeita

Daí a combinação de Maisa, com aquela sainha de 60cm, da Miu Miu, camisaria oversized, sapatinhos Anos 20, meias e um casacão de linha até que começa a fazer sentido. É chocante à primeira vista, mas também contagiante, democrático e libertador. É que no dopamine dressing não existe certo ou errado, todas as combinações são aceitáveis. Agora, a gente concorda que existem looks que beiram a cafonice (Maisa), o ridículo (Bruna Linzmeyer) e uns até aceitáveis (GKay e Anitta).

Dopamine dressing

Alguns looks de Anitta são até contidos, em se tratando da pegada fun, da dopamine dressing

Não é de admirar que o dopamine dressing também traz humor aos looks. A manifestação da alegria e felicidade da gente está vivo, depois de uma pandemia. E tem lógica as peças se comunicarem com alegria e, nessa explosão de bom humor, irarem fantasias. Nossa, já vi muito o povo fantasiado por aí. Preste atenção?

a moda morreu

Gkay abusa do estilo dopamine e olha se os sapatos Valentino são ou não são próprios de fantasias?

COMO USAR O DOPANIME DRESSING?

Se você deseja investir nesse babado forte, o primeiro passo é buscar, no closet, peças que tenham valor simbólico para você. Roupas com memória que ajudem você a contar uma história. O segundo passo é não ter medo de ousar, com cores que fujam da cartela tradicional de cores. E esqueça tons complementares. Busque no baú as fantasias. Sério, estão valendo, acredite! Mostre o corpo, as curvas, como fez atriz Bruna Linzmeyer sem se preocupar se a barriga está HD oi não. Transparências, penteados alegres, trancas, torcidos. Liberdade é uma das palavras-chave.

Ah, e existem cores capazes de iluminar a gente, ajudar a liberar a dopamina, são elas: vinho, vermelho, rosa goiaba, vermelho melancia, azul-marinho, verde esmeralda e lilás. Inclua aí o tom very peri, eleito “A cor do Ano”, pela Pantone.

SAIBA MAIS

Entenda como o modo da gente se vestir afeta processos cognitivos e pode deixar a gente feliz, triste, enérgico, preguiçoso…

https://www.journals.elsevier.com/journal-of-experimental-social-psychology