Ministério da Saúde pedirá à Anvisa liberação de autoteste de Covid-19 no Brasil | Portal GCMAIS

Jovem Pan News FM 92.9

AO VIVO
TESTAGEM
Ministério da Saúde pedirá à Anvisa liberação de autoteste de Covid-19 no Brasil
Outros países já utilizam esse tipo de teste, que pode ser feito em casa, para agilizar diagnóstico da doença
REDAÇÃO GCMAIS
Postado em 11 de janeiro de 2022
Ministério da Saúde pedirá à Anvisa liberação de autoteste de Covid-19 no Brasil
Atualmente, a testagem no Brasil só é feito por profissionais de saúde. Foto: Roque de Sá / Agência Senado

O Ministério da Saúde irá solicitar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) esta semana uma autorização para o uso de autoteste de detecção de Covid-19 no País. A medida visa agilizar o diagnóstico da doença, a exemplo do que já ocorre em outros países.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

O autoteste pode ser feito em casa com a coleta do material no nariz com cotonete ou por saliva. Contudo, o exame tem sensibilidade menor do que outros testes que detectam a covid-19, como o RT-PCR. Além disso, o autoteste pode não trazer resultados fidedignos se o paciente não estiver bem treinado.

Leia também | Ministério da Saúde reduz de 10 para 7 dias o isolamento de pacientes com covid-19

A realização de autoteste de detecção de covid-19 ainda não é permitida no Brasil. Oficialmente, já se pronunciou sobre o assunto ao divulgar uma nota, na última sexta-feira (7), em que esclarece que, pelas regras atuais, só permite “o registro de autoteste de doenças infectocontagiosas passíveis de notificação compulsória, como a Covid-19, caso haja uma política de saúde pública e estratégia de ação estabelecida pelo Ministério da Saúde”.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Sobre o assunto, a nota da Anvisa destacou que “para a adoção de uma eventual política pública que possibilite o uso de autoteste para Covid-19, é fundamental considerar os fatores humanos e a usabilidade do produto, medidas de segurança do produto, limitações, advertências, cuidados quanto ao armazenamento, condições ambientais no local que será utilizado, intervalo de leitura, dentre outros aspectos”, finaliza a nota.

 


Deixe seu comentário